Brasil: para além da crise (Tânia Bacelar)

9 de maio de 2009 at 15:24 2 comentários

Por Tânia Bacelar

Estamos vivendo um momento importante da história dos povos nesse final de 2008. A nova crise que abala o capitalismo, em estágio avançado de globalização e submetido à voracidade ( e porque não dizer à ousada leviandade) da acumulação financeira, sinaliza uma dessas situações de transição profunda.

Há tempo que a crise era prevista, mas sua intensidade e duração ainda estão indefinidas. Sabe-se, no entanto, que os impactos mais pesados atingirão os países mais ricos, em especial os Estados Unidos.

Embora o curto prazo tome a cena e ocupe corações e mentes, vale tentar olhar mais longe: para além da crise…

Vários estudos realizados bem antes do desastre de Wall Street vinham analisando tendências de médio e longo prazos e anunciando alterações significativas no cenário mundial ainda nas primeiras décadas do século XXI. O mais recente numero do Monde Diplomatique Brasil anuncia o “inevitável mundo novo” que sucederá a crise.

Em 2006, a revista The Economist publicou uma reportagem especial sobre as mudanças no ambiente econômico mundial na qual falava do que chamou “novos titans”. A conhecida publicação constatava que o trem do dinamismo econômico não era mais puxado pela locomotiva chamada países ricos. Os novos carros-chefe da economia global seriam os BRIC’s – nome que vem sendo cada vez mais usado para se referir ao Brasil, Rússia, Índia e China em análises sobre a trajetória de longo prazo do desenvolvimento mundial.

Com base em projeções demográficas e econômicas, vários estudos vinham anunciando que já nas próximas décadas as economias da China, Índia, Brasil e Rússia seriam maiores do que as dos Estados Unidos, Japão, Alemanha, Reino Unido, França e Itália. Destes, apenas os Estados Unidos e o Japão estariam entre as seis maiores economias do mundo em 2050, profetizavam as projeções. Segundo o FMI, a China já passou a Alemanha.

Para os brasileiros, mal saídos de uma longa fase de baixo crescimento, hiperinflação, crise fiscal aguda e desequilíbrio externo, mal dá para crer na inclusão do Brasil nesta seleta lista. Mas a verdade é que não escapa aos analistas externos o enorme potencial deste país.

Com uma invejável dotação de recursos naturais (água, minérios, terra boa…), capacidade empreendedora e tecnológica (a EMBRAPA é referência internacional), o país tem tudo para se colocar entre as potências ambientais e agroindustriais mais importantes do século XXI. Num mundo com problemas na sua matriz energética, o Brasil surge como um dos maiores produtores de petróleo, com a descoberta deste produto na camada do pré-sal e com invejável potencial para gerar energia com base na biomassa.

A base industrial e de serviços modernos construída no século XX pode ser fortalecida, várias empresas nacionais se encontram em processo de globalização e a base de C&T do país vem sendo ampliada, ao mesmo tempo em que a inovação é crescentemente valorizada.

O país vem adquirindo respeito crescente nos fóruns internacionais (G20, por exemplo).

Nos anos recentes, o Brasil parece ter redescoberto o grande potencial que representa seu amplo mercado interno, e a novidade: descobre o poder impulsionador que sua base produtora pode receber do consumo insatisfeito da base de sua pirâmide social. Bastou uma modesta redução da concentração da renda nacional e esse potencial emergiu com força. Esse rumo é bom.

Se lá fora nos vêem assim, cabe-nos refletir sobre nossos problemas, desafios – o da educação, por exemplo – e nossas potencialidades. Levar o barco com cuidado em meio às turbulências atuais, mas não perder de vista o médio e longo prazo, que nos pode ser promissor. Decidir o hoje com os olhos no amanhã.

Entry filed under: Tânia Bacelar. Tags: .

A crise de 2008 põe à prova as políticas keynesianas (Paul Singer) Crise abre espaço para repensar Estado e desenvolvimento (Ladislau Dowbor)

2 Comentários Add your own

  • 1. RAQUEL CORREA  |  26 de agosto de 2009 às 23:13

    QUERO DEIXAR AQUI, MEUS PARABÉNS, PELA PALESTRA QUE TIVE A GRANDE OPORTUNIDADE DE PARTICIPAR…

    SOU ALUNA DA FAFICA CARUARU E ATRAVES DE SUA PALESTRA ESTOU DESENVOLVENDO UM TRABALHO CIENTIFICO.

    RAQUEL CORREA.

    Responder
  • 2. André dos Reis Adão  |  6 de maio de 2011 às 21:52

    Acredito no potencial do Brasil ,começamos a entender a importancia da melhor distribuição de renda, a sua influência direta na sustentabilidade econômica do país,estamos caminhando.

    Advogado ,pós graduado em Gestão Ambiental pelo CEFET e graduando pela UFU em Gestão Pública

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Comissão convocadora

Amir Khair, Antonio Martins, Caio Magri, Caio Silveira, Carlos Lopes, Carlos Tibúrcio, Darlene Testa, Eduardo Suplicy, Ignacy Sachs, Juarez de Paula, Ladislau Dowbor, Luiz Gonzaga Beluzzo, Moacir Gadotti, Márcio Pochmann, Paul Singer, Roberto Smith.

Feeds


 
Logo BNB
 
Logo IPEA
 
Logo IPF
 

 

 

As postagens deste blog estão abertas para seus comentários.
Para comentar os artigos, use o link "add comment" no rodapé de cada texto.

 
 
 

Se desejar mais informações sobre Crise e Oportunidade entre em contato conosco através do e-mail criseoportunidade@utopia.org.br

 
 

 
 
O objetivo geral de Crise e Oportunidade é de identificar na crise global as oportunidades de se colocar em discussão temas mais amplos, buscando a organização da intermediação financeira e dos fluxos de financiamento para que respondam de maneira equilibrada às necessidades econômicas, mas que sobretudo permitam enfrentar os grandes desafios da desigualdade e da sustentabilidade ambiental, nos planos nacional, regional e global.

 
 
 
 
Ajude a divulgar esta iniciativa colocando este botão em seu site ou blog (<b>https://criseoportunidade.wordpress.com</b>)

Ajude a divulgar este espaço de debate colocando este botão em seu site ou no seu blog.

 
 
 
 
 
 
Licença Creative CommonsEste blog está licenciado sob uma Licença Creative Commons 2.5 BR

%d blogueiros gostam disto: